A cidade do sol - Khaled Hosseini

Em mais ou menos 2007 um nome se destacou na lista dos mais vendidos do mundo , Khaled Hosseini é um autor afegão que escreveu seu nome na historia com o seu livro O caçador de pipas.
Este foi um livro que trouxe a nós um pequeno pedaço do horror vividos pelos afegãos até hoje. Mas hoje vou falar de  seu segundo livro : A cidade do Sol ou A thousand splendid suns.
A primeira diferença deste livro em relação ao primeiro é a centralização na figura de personagens femininas . O livro começa com Mariam , uma adolescente de 15 anos que aos poucos vai sendo imergida por tragedias familiares e um pais inundado pela guerra e intolerância. A partir dai são narrados fatos que se unem a vida de Mariam. O livro assim como primeiro traz polemica em relação a cultura islâmica , ao regime talibã e a guerra.
Não é uma historia que se possa esquecer e com certeza está entre os livros que mais me marcou.


SINOPSE:
Mariam tem 33 anos. Sua mãe morreu quando ela tinha 15 anos e Jalil, o homem que deveria ser seu pai, a deu em casamento a Rashid, um sapateiro de 45 anos. Ela sempre soube que seu destino era servir seu marido e dar-lhe muitos filhos. Mas as pessoas não controlam seus destinos. Laila tem 14 anos. É filha de um professor que sempre lhe diz: 'Você pode ser tudo o que quiser.' Ela vai à escola todos os dias, é considerada uma das melhores alunas do colégio e sempre soube que seu destino era muito maior do que casar e ter filhos. Mas as pessoas não controlam seus destinos. Confrontadas pela história, o que parecia impossível acontece: Mariam e Laila se encontram, absolutamente sós. E a partir desse momento, embora a história continue a decidir os destinos, uma outra história começa a ser contada, aquela que ensina que todos nós fazemos parte do 'todo humano', somos iguais na diferença, com nossos pensamentos, sentimentos e mistérios.

You Might Also Like

0 comentários